MONTANHAS

Está cada vez mais comum ver pessoas enriquecendo suas redes sociais com fotos acima das nuvens. E para isso, é necessário, apenas, escalar as belas formas de relevo que se caracterizam pela elevada altitude. Para a ciência, o Brasil não possui montanhas e, sim, planaltos, mas já está mais que enraizada está que é a nomenclatura mais tradicional, que também optamos por atribuir.
Com altitudes próximas de 3 mil metros, muitos aventureiros estão aderindo à prática do montanhismo e vivenciando momentos únicos, que não poderão jamais ser sentido em viagens tradicionais, em hotéis requintados. Por mais interessante que sejam, as viagens de sempre não podem oferecer a sensação de vivenciar as alturas e é por isso que, cada dia mais, aumenta a vontade de se percorrer um caminho tortuoso, difícil e íngreme, muitas vezes contra o próprio sentido de sobrevivência humana, onde a grande recompensa é uma magnífica vista por alguns breves minutos.
É sabido que a busca pelo cume das montanhas começou há milhares de anos, desde os primórdios e aparentemente sem motivos. E é aí que fica no ar algumas perguntas: O que leva o ser humano a buscar o cume de uma elevação? Seria a superação física ou a sensação de superação e desejo da conquista? Com certeza são respostas que não teremos tão cedo, porém, sabe-se que a montanha sempre esteve presente no imaginário das pessoas, em todas as civilizações, principalmente por meio da mitologia que fundamenta e guia a história dos povos. E para falar das montanhas é fundamental conviver com elas, sentir o que realmente elas transmitem e saber qual a sua importância para nós, seres humanos.
Estivemos em praticamente todas as 20 mais altas montanhas do país e, ainda assim, nossa aventura continua. E queremos compartilhar com você, amigo internauta, que deseja iniciar a prática e não sabe por onde começar, ou ilustrar melhor a rota para o montanhista mais calejado. Assim, a TV Trilha registra dicas preciosas para você que deseja muito conhecer o topo de uma montanha.
Os mais altos
Os mais frequentados e buscados planaltos do país ficam localizados no Parque Nacional do Itatiaia (PNI), que é o primeiro parque nacional do Brasil, na divisa dos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, na Serra da Mantiqueira. É lá que estão localizadas importantes formações rochosas, como as Agulhas Negras, Prateleira, Couto, Camelo, Altar, entre outras. O Parque Nacional do Itatiaia está localizado na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, próximo ao estado de São Paulo, na Serra da Mantiqueira.
Não menos visitado por amantes do montanhismo está o Pico dos Marins, que com seus imponentes 2.420 metros de altitude ocupa a 26ª posição entre as montanhas mais altas do país, sendo mais alta do Estado de São Paulo. Um destino que atrai cada vez mais praticantes aventureiros diante as belezas naturais da região da Serra da Mantiqueira, localizado na cidade de Piquete.
Na cidade de Extrema, no estado de Minas Gerais, fica localizado o Pico do Lopo, uma ramificação grandiosa da Serra da Mantiqueira. Com 1.780 metros acima do nível do mar, o Pico do Lopo oferece uma vista privilegiada da região e por ser de acesso fácil, é uma ótima opção para quem está iniciando a prática do montanhismo.
O 4º pico mais alto do Brasil é a Pedra da Mina, também ponto culminante do Estado de São Paulo, sendo considerada a melhor Travessia do pais. Fica localizada na Serra Fina, que é o maior conjunto de montanhas do Brasil, com 12 picos acima de 2.600 metros. O acesso à Pedra da Mina é de nível difícil e o montanhista pode optar pela subida a partir da Fazenda Serra Fina (conhecida como Trilha do Paiolinho) ou pela travessia da Serra Fina, que tem duração de 4 dias (96 horas), com trajeto que passa pela Pedra da Mina.
O Estado do Paraná também oferece uma importante contribuição à prática do montanhismo, sendo destaque o Pico Paraná, que é a montanha mais alta da Região Sul do Brasil, com 1.877 metros de altitude, localizada em um complexo de montanhas denominado Serra do Ibitiraquire.
Também trekking das mais requisitadas pelos montanhistas do Brasil é o Pico da Bandeira, localizado no Parque Nacional do Caparaó, na Serra do Caparaó, na divisa entre os municípios de Ibitirama, Espírito Santo, e Alto Caparaó, Minas Gerais. Esta é a 3ª montanha mais alta do Brasil, medindo 2.892 metros de altitude. É a mais acessível das montanhas mais altas do país, pois existem trilhas muito bem sinalizadas pelo lado do Espírito Santo (Portaria Capixaba na comunidade de Pedra Menina, em Dores do Rio Preto) e também pelo lado de Minas Gerais (Portaria Mineira em Alto Caparaó). O Pico da Bandeira é um dos pontos mais frios da região Sudeste, com temperaturas no pico que podem chegar até -10°C. Na mesma trekking, o montanhista pode visitar outras montanhas, localizadas na mesma rota, como o Pico do Calçado (4ª maior montanha do país, medindo 2.849 metros de altitude; Pico do Cristal (7º mais alto do Brasil, medindo 2.770 metros) e o Pico do Calçado Mirim, com 2.818 metros.
De beleza exuberante está o monte Roraima, montanha em formato de mesa, localizada na tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana. Seu planalto apresenta um ambiente totalmente diferente da floresta tropical e da savana que se estende a seus pés. Esta montanha é protegida no território venezuelano pelo Parque Nacional Canaima e no território brasileiro pelo Parque Nacional do Monte Roraima. Seu ponto culminante eleva-se no extremo sul, no estado venezuelano de Bolívar, a 2.810 metros de altitude. O segundo ponto mais alto, com 2.772 metros, localiza-se ao norte do planalto, em território guianense, próximo ao marco de fronteira entre os três países.
A mais alta montanha brasileira
E como o assunto é montanha, não poderíamos finalizar da melhor maneira, que é falando da mais alta montanha e também de mais difícil acesso do país, o Pico da Neblina, que mede 2.995,30 metros acima do nível do mar e fica localizada no município de Santa Isabel do Rio Negro, na Serra do Imeri, Planalto das Guianas, no Estado do Amazonas. Apenas para chegar até ela, é preciso viajar de avião, depois alguns dias de carro, barco e muita caminhada. Somente para alcançar o cume do Pico da Neblina, é necessária uma caminhada de cerca de 8 a 10 horas. A primeira ascensão ao seu cume aconteceu em 1965, diante uma expedição do Exército Brasileiro.
O nome do pico origina-se do fato de que o topo da montanha fica encoberto pela neblina a maior parte do tempo. Por sua vez, o pico dá nome ao Parque Nacional do Pico da Neblina, onde está situado. Embora o maciço do Pico da Neblina esteja situado na fronteira com a Venezuela e a maior parte da área do maciço esteja nesse país, o cume principal está inteiramente dentro do território brasileiro, em fronteira do Brasil com Colômbia e Venezuela, estando a meros 687 metros da fronteira venezuelana, no Pico 31 de Março, seu vizinho, que é o segundo cume mais alto do Brasil.
Como se pode notar, apesar do limite ser de 3 mil metros, os montanhistas têm opções de sobra para ‘fazerem a festa’. E a proposta da TV Trilha é registrar, passo a passo, com videorreportagens exclusivas, a escalada de todas as principais montanhas do país e também das mais altas do mundo.
O montanhismo e a escalada fascinam as pessoas há muitos anos. Todos nós somos impelidos a procurarmos uma aventura, a explorarmos o desconhecido e não raras são as grandes aventuras humanas que renderam grandes histórias desde a Grécia antiga. Nós somos assim!
No mundo atual, com o nível de entretenimento “virtual”, parece que cada vez menos aventuras verdadeiras podem saciar nossa sede ambiciosa pelo desconhecido.
Se você está iniciando, é entusiasta ou profissional, fique com a gente. Compartilhe seus planos, conhecimento e desejos e vamos imortalizar o momento, juntos, fazendo vários clicks acima das nuvens.
maio 18, 2018

Desbravando o nebuloso Pico dos Marins

O Pico dos Marins fica situado na divisa dos municípios de Piquete e Cruzeiro, no estado de São Paulo. Localizado na Serra da Mantiqueira, seu cume […]
maio 18, 2018

Desbravando o Pico do Cristal – ES

Minha aventura ao Pico do Cristal aconteceu logo após ter desbravado o Pico da Bandeira e também as pedras gêmeas, que são o Pico do Calçado […]
maio 18, 2018

Pico do Lopo

Filho do jornalista e aventureiro, Luiz Carlos Izzo, Lukinha enfrentou o medo da altura e concluiu, com êxito, a escalada ao Pico do Lopo, montanha com […]

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest